domingo, 20 de fevereiro de 2011

O canto da sereia Kassabista

Por Marcio TAQUARAL

São Paulo, a maior cidade do Brasil e capital do estado mais rico da Federação, é a cereja do bolo. Para alguns partidos, sua prefeitura vale mais do que o governo de alguns estados. Ganhar essa prefeitura de mão beijada, sem ter que disputar eleição, é o maior sonho que qualquer dirigente partidário poderia ter na atual conjuntura.

O suposto prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEMo), é um político conservador, de Direita, que foi eleito graças ao padrinho José Serra. Kassab, apesar da mediocridade de sua administração, pretende alçar voos maiores, por exemplo, o Governo do Estado. Ocorre que o Governo de São Paulo é propriedade exclusiva do PSDB desde a eleição de 1994 e o atual ocupante do cargo, o Governador Geraldo Alckmin, não tem o menor interesse dar este presente para Kassab.

A única chance que Kassab tem para ser governador é rompendo sua aliança com os tucanos. Mas para isso, tem que mudar de partido, afinal, o DEMo não tem força política própria em São Paulo e, além disso, é aliado incondicional do PSDB. Kassab, que de bobo só tem a cara, sabe que para enfrentar a máquina do Governo do Estado, precisa de um aliado poderoso, no caso, o Governo Federal. Por conta disso, Kassab resolveu deixar a oposição (nacional) e aderir ao Governo Dilma. Uma decisão que não tem nada de ideológica. Trata-se de mero cálculo político.

Para a Esquerda, a divisão no barco da Direita pode ser uma boa. Atualmente, o condomínio liderado pelo PSDB é virtualmente invencível, pois concentra os votos de dois conservadorismos, na capital o antigo malufismo (de José Serra) e no interior o antigo quercismo (de Geraldo Alckmin). Com o rompimento de Kassab, a Direita se divide e abre espaço para a Esquerda.

Mas se iludem os que acreditam que Kassab mudou de barco. Apesar de rompido com Alckmin, o prefeito continua na Direita. Kassab não dá qualquer demonstração de que pretende mudar a linha reacionária de seu governo, cheia de fanfarronices e medidas populistas. Apesar de receber tratamento de aliado VIP por parte da base governista de Dilma, Kassab ainda nem saiu do DEMo (até parece que espera uma oferta para continuar por lá). E mais, Kassab se apresenta como aliado para os partidos de Esquerda, mas não rompeu com seu aliado e padrinho José Serra.

Não será de espantar se, no futuro, ficarmos sabendo que toda a confusa movimentação de Kassab estiver sido dirigida pessoalmente por Serra. E o pior, aos que esperam montar no cavalo selado (chegar à Prefeitura de São Paulo), podem estar cometendo o erro de apostar no cavalo perdedor!

**********
De Cotia-SP.

FOTO: http://linhaslivres.wordpress.com/2011/02/11/a-visita-de-kassab/

Um comentário:

  1. Boa Taqua! De bobo só tem a cara!
    Levo pro Face!

    ResponderExcluir